8 de ago de 2011

Um pequeno guia sobre IPv4 e IPv6.

Cabo de internet (Foto: stock.xchng)Cabo de internet (Foto: stock.xchng)


A internet funciona através de protocolos. Combinações numéricas que estabelecem conexões entre computadores. Quando você abre a janela do seu provedor de banda larga para entrar no modo online, milhares de números e valores mantém você na rede.
Assunto do momento, os protocolos IPv4 e IPv6, ainda causam dúvidas para quem utiliza a internet. Por isso, o TechTudo preparou um pequeno guia para explicar o que são esses protocolos, e como eles funcionam. Antes de tudo, é preciso saber que o padrão IPv4 está desde a criação da rede e logo será excluído para o uso do IPv6. Confira, abaixo, no que consiste cada protocolo.
O que é o IPv4?

IPv4 significa Protocol version 4, ou versão 4 de protocolos. É a tecnologia que permite que nossos aparelhos conectem na internet, seja qual for o tipo de gadget – pode ser PC, Mac, smartphones ou outros aparelhos. Cada um que estiver online terá um código único, como 99.48.227.227 por exemplo, para enviar e receber dados de outros que estiverem conectados.
O que é o IPv6?

O IPv6 é a sexta revisão dos protocolos na internet e é o sucessor natural do IPv4. Essencialmente, ele faz a mesma coisa que outras tecnologias desse tipo, mas em 128 bits.
Por que estamos usando IPv4?

O IPv4 transfere endereços de protocolos de 32 bits. Sustenta aproximadamente 4,29 bilhões de IPs pelo mundo todo, o que nos fez chegar na crise atual: O sistema não suportará mais endereços do que isso.
Como o IPv6 resolveria esse problema?

O novo sistema suportaria algo como 340.282.366.920.938.000.000.000.000.000.000.000.000 endereços. Você consegue calcular isso? Pois é, nem eu. Mas é muito mais do que 4 bilhões atuais e conseguiria suportar a demanda do crescimento da internet por mais muitos anos. E isso acontece apenas porque os IPs trabalham em 128 bits.
Por que não substituímos os sistemas, simplesmente?

Os protocolos já começaram a ser substituídos na última década. Essencialmente, os dois sistemas funcionam paralelamente. No entanto, o teste de verdade com o IPv6 será em 8 de junho desse ano, batizado de “World IPv6 Day“. Google, Facebook e outros grandes companhias farão a substituição para testar se os novos IPs vão funcionar.
Como isso vai me afetar?

Aparentemente, isso não vai te afetar. Sistemas operacionais como Windows XP Service Pack 1, Mac OS X 10.2 e posteriores contam com IPv6. O problema está nos aparelhos roteadores. Neste caso, você terá, que fazer a substituição dessa peça por outra mais atual para se manter online. Alguns bugs também precisam ser ajustados para a grande massa. E ninguém sabe quanto vai demorar para a transição completa entre os sistemas. De qualquer maneira, não há motivo para entrar em pânico.

Insetos ajudam a desvendar crimes misteriosos.


Ao chegar a uma cena de crime, os peritos não se dirigem apenas ao cadáver - observam também osinsetos presentes. "Eles ajudam a elucidar questões relacionadas à morte violenta, maus-tratos e sequestro", explica a perita Janyra da Costa. A prática ainda não é comum no Brasil, mas já virou regra nos EUA e na Europa. Veja por quê.

Espécie - Polybia paulista

O que faz - Auxilia na identificação do local do crime. Se o cadáver apresentar rastros dessa vespa, é porque o crime ocorreu no habitat natural dela - regiões com inverno frio (temperaturas abaixo de 18ºC), como São Paulo, Minas Gerais ou Paraná.

Espécie - Solenopsis saevissima
O que faz - A formiga revela que a vítima sofreu maus-tratos antes da morte - pois sua presença indica más condições de higiene no local. É bastante útil em investigações de sequestro, pois costuma estar presente em lugares confinados ou buracos onde insetos maiores não conseguem circular.

Espécie - Chrysomya albiceps

O que faz - É útil nos casos em que o corpo já está em estágio avançado de decomposição. Os peritos capturam essa mosca no local do crime, e analisam o sistema digestivo dela. A presença de certos elementos, como chumbo ou esperma, indica que a vítima foi baleada ou sofreu violência sexual.

Espécie - Dermestes maculatus

O que faz - O besouro ajuda a desvendar a causa da morte - se a vítima ingeriu alguma substância venenosa, por exemplo - e a identidade do cadáver, já que é possível encontrar DNA da vítima em seu sistema digestivo.

Espécie - Culex sp
O que faz - Quando a polícia invade um cativeiro, procura esse mosquito - que se alimenta de sangue humano e por isso pode conter uma amostra do DNA do sequestrador. O Culex também é usado quando há suspeita envolvendo drogas, pois revela se a vítima consumiu cocaína, heroína ou anfetamina.

O que significa 8/7c e 9/8c nos pôsteres de séries?


Uma questão que sempre levanta dúvida nos fãs das séries são os números acompanhados de letras como 8/7c e 9/8c que aparecem nos pôsteres e cartzes dos seriadose representam  o horário de exibição dos mesmos nos Estados Unidos. A confusão acontece, porque essa forma de exibição não é convencional para nós.
Reparem na parte destacada do pôster da sétima temporada de “House” abaixo:
Entenda os números
MON 9/20: é a data que estava marcada para a estreia da temporada ano passado, onde MON representa monday (segunda-feira em inglês), e 9/20 representa o dia 20/09 (nos Estados Unidos primeiro você coloca o mês para depois colocar o dia).
8/7c: Representa que o horário em que o episódio vai ser exibido. O Primeiro número, mostra o horário em que a série vai ao ar no horário do Pacífico e da costa leste, ou seja, 8 horas da noite (20h).  Já o segundo número, que vem  sempre acompanhado de um C, mostra a hora marcada de exibição no horário central  e das montanhas, que no caso é 7 horas (19h).
Fuso Horário
Ai você se pergunta como assim horário do pacífico, costa leste, central e das montanhas? Bom para entender isso precisamos nos lembrar dos Fusos horários. Pelo fato dos Estados Unidos ser um país com território extenso “lateralmente”, ele possuí diferentes fusos horários, mais especificamente 4 fuso. Sendo eles:
* Hora do Pacífico: que abrange Los Angeles, Las Vegas e São Francisco, possui o fuso -8;
* O horário Central fica no fuso -7;
* O horário das Montanhas fica no fuso -6;
* O horário Leste que abrange Nova Iorque fica no fuso – 5;
Vejam a representação no Mapa abaixo:

 Na linha amarela vemos o fuso horário do Pacífico, que lembrando vai ser sempre o primeiro número que vier na frente do pôster 9/8c, significa que vai ser exibido as 21 horas no horário do Pacífico.
Na linha verde claro vemos o fuso horário oficial do Brasil (Horário de Brasília)
Na linha lilás vemos o horário zero, que Abrange Inglaterra e Portugal  (parte continental)
Horário de verão
Quando a maioria das séries retornam, em setembro, os Estados Unidos estarão em horário de verão, ou seja, eles estão com 1 hora a mais do que o fuso normal. Nessa época, é comum vermos as pessoas que estão nos EUA falando sobre a série mais cedo, fazendo reviews de episódios mais rápidos e os links para download do seriado são disponibilizados também antes do que o de costume. Isso acontece justamente por causa do horário de verão lá fora, que diminui a diferença entre a hora daqui e a de lá.
Vamos usar “House” como exemplo:
House: 8/7 c
Significa que a série será exibida as 20 horas no horário do Pacífico e do leste, e as 19 horas no horário central e das montanhas.
Quando estiver sendo exibido em Nova Iorque (Horário do Leste -5), vão ser 20 horas lá e 22 horas aqui, caso eles estejam em horário de verão. Se ninguém estiver em horário de verão, enquanto a série estiver sendo exibida lá, aqui serão 23 horas. E, quando nós estivermos no horário de verão e eles não, os ponteiros marcarão meia-noite quando a série estiver indo ao ar na terra do tio Sam.